GRUPOS ENVOLVIDOS NA LAVA JATO PEDEM R$ 31 BI AO BNDES
2 de março de 2015
Os projetos de infraestrutura e óleo e gás de empresas ligadas de alguma forma à Operação Lava-Jato – principalmente como sócias de concessionárias – que estão sob análise de técnicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) envolvem financiamentos de até R$ 31,1 bilhões. Levantamento feito pelo ‘Estado’ mapeou nove projetos, incluindo o empréstimo de R$ 8,8 bilhões para a Sete Brasil, fornecedora criada para afretar sondas para a Petrobrás, cuja situação financeira é considerada crítica. Com a evolução das investigações, o BNDES começou a passar um pente-fino nos projetos e ampliou as exigências, após uma consulta à Controladoria Geral da União (CGU). Novembro marcou um ponto de virada no caso, com a prisão de executivos de alto escalação de diversas construtoras. O rigor máximo é dedicado ao caso da Sete Brasil, cujo crédito foi aprovado em janeiro do ano passado, mas teve a contratação congelada. Segundo um profissional que assessora concessionárias de infraestrutura, o BNDES não mudou exigências de garantia – já consideradas rígidas pelo mercado -, mas passou a exigir das empresas carcas com “declaração anticorrupção”.

Companies involved in “Lava Jato” requests to BNDES for R$ 31 bi BNDES is currently analyzing the financing of infrastructure projects of oil & gas companies involved in “Lava Jato” Operation in a total amount of R$ 31 bi that includes the loan of R $ 8.8 bi to Sete Brasil, which financial status is considered critical. BNDES increased its requirements to grant funds after the development of “Lava Jato” operation.